Sindicato dos Escreventes e Auxiliares Notariais e Registrais do Estado de São Paulo


Grupo Whatsapp somente para funcionário da categoria. Fica obrigado a identificação do solicitante

Notícias

30/07/2018

O SEANOR PRECISA DE VOCÊ PARA CONTINUAR TRABALHANDO ... Leia mais. VEJA O PISO 2017/2018

 

O SEANOR PRECISA DE VOCÊ PARA CONTINUAR... Leia mais.

 

 

 

O SEANOR PRECISA DE VOCÊ PARA CONTINUAR SUA JORNADA PARA DEFENDER SEUS INTERESSES E OFERTAR BENEFÍCIOS ATUALMENTE SUSPENSOS POR FALTA DE RECEITA.

VOCÊ ESTÁ RECEBENDO CORRESPONDENCIA EXPLICATIVA DA FALTA DE RECEITA DO SEANOR.

AGORA ESTÁ EM SUAS MÃOS: VOCÊ DECIDE SE O SEANOR CONTINUA LUTANDO POR DIREITOS DA CATEGORIA, RECOLHENDO A CONTRIBUIÇÃO ASSISTENCIAL CUJO BOLETO INDIVIDUAL VOCÊ PODERÁ IMPRIMIR ATRAVÉS DESTE SITE NA ABA “CONTRIBUIÇÕES”, CUJO VALOR É DE 5% SOBRE O PISO SALARIAL DE NOVEMBRO DE 2017.

SE VOCÊ OPTAR PELO NÃO RECOLHIMENTO O SEANOR NÃO TERÁ OUTRO DESTINO SE NÃO O ENCERRAMENTO DE SUAS ATIVIDADES EM DEFINITIVO, DEIXANDO A CATEGORIA À DERIVA, SEM CONVENÇÃO COLETIVA, PERDENDO INCLUSIVE O QUE JÁ FOI CONQUISTADO ANTERIORMENTE.

PISO SALARIAL 2017/2018:

 

TODOS OS REGISTROS E TABELIONATOS:-

a) ATÉ 10 FUNCIONÁRIOS:

a.1) auxiliares :……… R$ 975,88

a.2) escreventes:…… R$ 1.107,67

b) DE 11 ATÉ 15 FUNCIONÁRIOS:

b.1) auxiliares :……… R$ 986,85

b.2) escreventes:…… R$ 1.228,61

c) DE 16 ATÉ 20 FUNCIONÁRIOS:

c.1) auxiliares :……… R$ 997,81

c.2) escreventes:…… R$ 1.375,85

d) DE 21 ATÉ 25 FUNCIONÁRIOS:

d.1) auxiliares :……… R$ 1.033,21

d.2) escreventes:….. .R$ 1.545,76

e) ACIMA DE 25 FUNCIONÁRIOS:

e.1) auxiliares :………. .R$ 1.149,19

e.2) escreventes:……. .R$ 1.743,08

 

 

LEIA O INTEIRO TEOR DA CARTA REMETIDA AOS ESCREVENTES E AUXILIARES DO EXTRAJUDICIAL:

 

São Paulo, 23 de julho de 2018.

 

Caro Escrevente e Auxiliar, bom dia!

 

             Venho por esta informar que o SEANOR – Sindicato dos Escreventes e Auxiliares Notariais e Registrais do Estado de São Paulo, fundado em 1948 na condição de Associação, passou a sindicato em fevereiro de 1989.

             Por um longo período a categoria não tinha nenhum direito trabalhista, mas só obrigação: Trabalhar sob o arbítrio do empregador.

             Mentiram para a categoria por muito tempo assemelhando-nos aos Servidores Público Estadual, com frágeis direitos como a mentirosa estabilidade, posto que quando um empregador quisesse dispensar um funcionário se utilizavam de subterfúgios como encostar o funcionário sem nenhuma atribuição dentro do cartório de forma que o mesmo sem aguentar a pressão pedia demissão, recebendo apenas os dias trabalhados, sem férias proporcionais, sem 13º salário, até porque não tínhamos esse direito garantido a todos os trabalhadores. Outra forma de dispensar o empregado sem pagar nenhuma indenização era formalizar um processo administrativo junto às competentes corregedorias das Serventias não Oficializadas.

             Nos anos 80 a então Associação dos Escreventes e Auxiliares conquistou mais alguns direitos tais como, um piso salarial, 13º Salário, posto que possuíamos apenas a chamada gratificação natalina, que se resumia em pequeno valor ou presentes, tais como par de meias, gravatas e tais...

             “Nessa época quando havia demissão “a bem do serviço público” o cartorário não recebia nem os dias trabalhados”, em português claro tomava um pé na b…, mais ou menos o que está acontecendo com os “falsamente denominados Estatutários”, por ocasião da posse de novos e insensíveis delegados que não reconhecem a sucessão trabalhista.

             Com a edição da Lei 8.935/94 ficou definido aos cartorários os direitos celetistas, não saiu como queríamos posto que impôs aos funcionários existentes  a opção pelo regime da CLT ou pelo antigo regime, tendo a maioria optado pelo antigo regime, cuja única vantagem era a Carteira de Previdência, já que a chamada estabilidade estatutária nunca existiu, conforme prova as atuais demissões desse pessoal sem nenhuma garantia.

                           Os trabalhadores de maneira geral, apoiaram a medida achando-se livres de um tributo, mas não conseguiram enxergar as inevitáveis consequências e prejuízos da reforma trabalhista, quais sejam, o desemprego, rebaixamento dos salários, eliminação de direitos, negociações coletivas, assessoria jurídica, convênios, assistência sindical, falta de homologação por ocasião da demissão e muitos outros direitos.

Por exemplo antes da reforma a Convenção Coletiva não renovada por qualquer motivo mantinha garantido os direitos da convenção do ano anterior.

             Com a reforma trabalhista isto mudou! Se a categoria não lutar por nova convenção coletiva ou, no mínimo, lutar para manter a ultima, toda a categoria perderá as garantias que conquistamos a duras penas!

             Assim será perdido os 70% de acréscimo no pagamento da hora extra, o piso salarial será extinto e tudo o mais que ali está explicitado, bem como o reajuste salarial, se houver, ficará a critério e boa vontade de cada um dos empregadores.

             90% DA CATEGORIA DECIDIU NÃO AUTORIZAR O DESCONTO DA CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DESTE ANO, DEIXANDO O SEANOR SEM A MAIOR FONTE DE RECEITA, OBRIGANDO A DISPENSA DE TODOS OS FUNCIONÁRIOS E CONSEQUENTE SUSPENSÃO DOS SERVIÇOS E BENEFÍCIOS.

             Sem fonte de receita para substituir a contribuição sindical e a contribuição negocial que mantinha o SEANOR funcionando é certo que até o fim deste ano o SEANOR fechará as portas por insuficiência de receita.

             Por todo o exposto entregamos em suas mãos o destino do seu sindicato.

             Para o adequado funcionamento do SEANOR é necessária uma receita mensal de R$120.000,00, através do voluntário recolhimento da contribuição sindical por meio de boleto bancário que você mesmo deve emitir pelo site  www.seanor.org.br, indo em emitir contribuições, seguindo o passo a passo do próprio site.

A contribuição deve ser no valor de 5% sobre o piso salarial da última convenção, (ver cópia no site).

Como calcular:

Verificar o piso de seu cartório na tabela da convenção.

Multiplicar por cinco (5).

Divida o valor encontrado por 100, sendo o resultado o valor final da contribuição a ser preenchido no boleto que você está imprimindo.

Prazo para o recolhimento: 10/08/2018.

 

José Luiz de Castro Silva - Presidente.

 

 

•  Veja outras notícias
Hit Counter by Digits  visitantes
Sindicato dos Escreventes e Auxiliares Notariais e Registrais do Estado de São Paulo